4.4.18

INSPIRATION OF THE DAY: MYSELF


Trinta e sete já cá cantam. É verdade, um bocadinho mais velha mas cada vez a sentir-me melhor comigo mesma, focada em cuidar mais de mim, em aceitar-me como sou e a continuar esta minha forma de me mostrar a quem me acompanha, sendo o mais autêntica possível. Sem vergonha em assumir ou mostrar que tenho dias menos bons, que sou (muitas) vezes insegura, que esta ansiedade que me acompanha faz anos demais tem dias que quase me mata ... mas que também sou grata pelos meus, pelo meu núcleo duro, por aqueles que me dão sempre colo quando mais preciso, pela família linda que tenho e que tanto amo. Mais gratidão e menos queixas é aquilo que tinha prometido para este novo ano.
Quanto ao dia do meu aniversário, fui partilhando vários momentos no instagram. Não foi um dia fácil, e eu sabia que não iria ser. Foi a primeira vez que não tive o meu Pai comigo a meu lado a cantar-me os parabéns. Foi um dia com muitas lágrimas, com muita saudade mas em que senti um enorme carinho tanto da minha família e amigos como de vocês. Recebi imensas mensagens extraordinárias, cheias de carinho e de força, palavras que não esqueço e que aqueceram o meu coração. Sou-vos profundamente grata por tudo isso.

Antes de terminar, não podia deixar de dirigir umas palavras à minha tão querida Mãe. A verdade é que se o meu dia de anos foi carregado de mimo muito lhe devo a ela. Fez tudo, mas tudo mesmo, para que eu me sentisse feliz. Decorou a casa de uma ponta à outra, cheia de pormenores bonitos, em cada detalhe senti amor e dedicação. Algo que só as mães nos conseguem dar desta forma tão única e tão especial. Começámos o dia juntas, fomos visitar o meu Pai ao cemitério e chorámos muito juntas. Eu preciso de chorar. Sei que ela também. Demos as mãos e tentámos sorrir o resto do dia, celebrando assim os meus 37 anos.
Eu sempre dei valor à familia, sempre. Foi algo que me foi incutido desde pequena, mas hoje, depois de tanta coisa que nos tem acontecido e que nos colocou por tantas vezes à prova, sou cada vez mais grata pela que tenho e faço questão de estar o máximo de tempo com eles e com qualidade.



A vida é um sopro. A mesma vida que de repente levou o meu Pai me ensinou que é preciso ter cada vez mais tempo para os nossos, para dizer que os amamos e para os fazermos sentir especiais.
O resto, os problemas, chatices, as contas para pagara todos os meses, para isso há sempre uma solução, mais fácil ou mais difícil mas acaba por aparecer. Acreditem. 
Não percam tempo e corram atrás do que vos faz feliz. Hoje, com 37 acabados de fazer, é isso mesmo que quero para mim, ser feliz, ser a melhor versão de mim mesma e ser a minha maior inspiração.

Com amor, 
Mia 






4 comentários:

  1. Que reflexão fantástica! Adorei Mia. E as fotos não podiam estar mais perfeitas. :)

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. E que seja um ano carregado de coisas boas!
    Beijinho
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderExcluir
  3. Só isso minha querida... como te tenho dito via Instagram... Somos nós e apenas nós que contamos (quase) no final do dia. Aquela frase tão cliché mas tão verdadeira do "se eu não gostar de mim, quem gostará" é, cada vez mais, hoje em dia, verdadeira. Num mundo totalmente cão, onde todos querem aparecer, ser, mostrarem-se, serem mais do que aquilo que na maioria das vezes são, temos de encontrar a nossa paz interior, o nosso espaço e a nossa própria cadência. Só assim conseguimos aguentar as surpresas da vida e continuar a olhar em frente.

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3