8.3.18

PRETTY WOMAN


Diz que hoje se comemora o Dia Internacional da Mulher. Aqui só entre nós, não acho que seja necessário um dia fixo num calendário para que nos ofereçam flores, abram a porta do carro ou sejam mais simpáticos connosco. A bom rigor, todos os dias são dias da mulher. Todos os dias todas nós fazemos um esforço enorme para conseguir chegar a tudo e a todos, deixar os miúdos a horas na escolha, não estar com cara de sono no trabalho e chegar a casa e ainda ter quilos de roupa para tratar e arrumar e o jantar para fazer. Com ou sem filhos, casadas, solteiras ou divorciadas todas nós somos especiais. Todas nós temos muitas vezes super poderes e nem sequer sabemos, todas nós somos mulheres do caraças que, no final de contas, só queremos uma coisa: ser feliz. 
Não tenho filhos, não sei o que é ser mãe, não sei se alguma vez conseguirei ser mas se fosse, gostaria que os meus filhos pudessem crescer num mundo em que as mulheres conseguissem ser mais unidas, criticassem menos e fossem menos más umas com as outras. Muitas vezes assisto a mulheres que defendem o feminismo, todas elas gritam #girlpower por todo o lado mas, na primeira oportunidade que tenham, lá estão a criticar outras mulheres, as suas opções ou comportamentos que possam ter e com as quais não concordam. Perdoem-me mas isso é tudo menos ser feminista. 

Há uns tempos atrás resolvi publicar uma fotografia minha onde mostrava a minha lingerie. Era domingo e eu estava num fim‑de‑semana de absoluto relax e romance. Apeteceu-me. Assim como quando estou na praia também o faço, quando estou de biquini ou de fato de banho. É igual. Não estava a fazer qualquer tipo de publicidade a nenhuma marca de soutiens nem nada do género. Apenas me apeteceu.  Só isso. Claro que os únicos comentários ou mensagens que recebi mais desagradáveis só podiam ter sido escritos por mulheres. Tão óbvio. Não entendo como as pessoas perdem tempo focadas numa vida que não é a delas. A única pessoa que poderia não se sentir confortável com aquela imagem seria o meu marido. Mas não, foi mesmo ele quem me fotografou e foi o primeiro a dizer para eu publicar. Porque era uma fotografia bonita.
É o meu corpo e acho que aos 36 anos de idade já posso fazer aquilo que me apetece e me faz sentir confortável. Sem ter de pedir autorização ou sem estar a pensar na opinião de quem nem me conhece.
Tudo isto para dizer apenas que acho que todas nós mulheres teríamos muito mais a ganhar se fossemos mais unidas, se julgássemos menos as outras só porque são diferentes de nós ou porque as suas escolhas pouco ou nada têm a ver com as nossas.
Preocupem-se em viver a vossa vida, a serem honestas nas vossas escolhas, saibam rodear-se de pessoas boas, positivas e sorriam. Sorriam muito. Toda esta viagem que é e vida passa rápido demais. Sejam a melhor versão de vocês mesmas e preocupem-se apenas em serem felizes e em fazerem felizes aqueles que amam.










LOOK:
Malha: Bimba&Lola | Saia: Mango
Carteira: mango | Botas: Gioseppo 

Com amor,
Mia




Um comentário:

  1. Bom dia,
    Infelizmente há pessoas e neste caso em concreto Mulheres que só sabem viver com o mal das outras...vivo isso diariamente...
    É triste mas é a pura das verdades, as Mulheres têm essa grande diferença em relação aos Homens, só sabem falar mal; ou porque "olha estás mais gordinha; foste passar férias para esse Hotel...". A inveja é outra coisa que me faz muita espécie, trabalho muito e sou solteira com 40 anos, é óbvio que posso dar-me a certos luxos que uma mulher casada que tem uma vida mais recatada e contida não o possa fazer. Mas só nós é que sabemos das nossas tristezas e das partidas que a vida nos prega. Ninguém é mais do que ninguém...

    Desculpe o desabafo, mas há dias que a paciência esgota!

    Beijinho e obrigada pela sua sinceridade

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3