5.2.18

Bye Monday


Quantas vezes já não deram conta do poder que algumas pessoas conseguem ter sobre vocês? De forma a serem capazes de alterar, por completo, o vosso mood? Impressionante, não é? Hoje, no meio do meu dia e dos meu afazeres, dei por mim a pensar tanto nisto. Quando me despedi de 2017 uma das coisas que quis definir como objectivo era tentar focar-me mais nas minhas ideias, naquilo que quero e que não quero fazer e não me deixar tanto ir na conversa dos outros. 
Eu fui sempre aquela pessoa que, tantas e tantas vezes, coloquei os problemas dos outros à frente dos meus, que roubei tempo precioso para estar com quem precisa, para ouvir, para dar um ombro amigo, para simplesmente estar. Ser disponível. Sempre. O que a vida me foi ensinando é que, nem sempre, os outros estão igualmente disponíveis para ti quando precisas. Eu sei, não somos todos iguais, não agimos todos da mesma forma, não temos todos a mesma educação, o mesmo sentir, a mesma sensibilidade. E acreditem que não me acho melhor nem pior por ser assim, dedicada aos meus. Mas confesso que às vezes gostava que me dedicassem o mesmo tempo ou a mesma atenção. Que perdessem 5m do dia para simplesmente enviar um sms a questionar se estou bem, sem motivo  nenhum, só porque sim, só porque qualquer dia é um dia bom para dizer "gosto de ti!". 

Quantas vezes dou por mim, num dia bom, a ver o meu sol desaparecer e a ser assombrado por nuvens cinzentas só porque alguém se lembrou de vir descarregar todos os males do mundo em cima de mim? Assim, simplesmente do nada, sem pedir autorização sequer. Sim, os verdadeiros amigos estão cá para tudo, principalmente para os momentos menos bons, eu sei, mas às vezes, estas coisas têm alguns limites. Quando dou por mim, fico sozinha a carregar o meu peso e o peso dos outros, embrulhada em problemas que não eram os meus e sem saber o que fazer para sair dali. A sensação que tenho é que os outros seguem o seu caminho muito mais aliviados e eu fico ali, com a cabeça toda baralhada, limitando-me a encolher os ombros e seguir caminho. 

Todos nós temos as nossas coisas, os nossos dias menos bons, as nossas frustrações, os nossos problemas, todos nós precisamos, às vezes, de alguém que nos ouça, que esteja presente para nós, que nos abrace em silêncio. Alguém que, mesmo não sendo capaz de resolver o que nos apoquenta, nos faz sentir mais calmos, mais serenos. A vida passa a voar, andamos a mil, tantas e tantas vezes olhamos vezes demais para o nosso umbigo, só queremos saber de nós, das nossas coisas, dos nossos objectivos. Esquecemos os outros. Esquecemos o quão importante é ter amigos na vida. O quão importante é ter tempo para eles.  

O texto já vai longo demais. Desculpem que juro que não era essa a intenção. Tudo isto para dizer que hoje acordei feliz, fui trabalhar de sorriso nos lábios mas, sem saber explicar bem o porquê, a meio do dia, alguma coisa mudou. E sei que alguma dessa culpa é minha, já que deixei que o meu humor fosse afectado com problemas que não eram meus. As pessoas às vezes são egoístas. E eu já devia ser capaz de lidar melhor com isto e de não permitir que me afectasse tanto.
Devia ser capaz de dizer: "hoje não vai dar", "hoje eu estou bem e a prioridade sou eu e o meu bem estar". Tudo isto sem pesos na consciência, só com a certeza de que eu também sou importante e que eu também tenho o direito de estar bem. Simplesmente isso.


LOOK: 
Colete: Zara | Camisola: C&A
Cinto: Zara | Botas: Rockport

Tenham uma noite feliz.
Com amor,
Mia


2 comentários:

  1. A pura das verdades, tenho dias que o peso nos ombros triplicou. Um bom dia e com sorrisos bjs

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente Mia!
    Também tenho essa dificuldade mas, ao mesmo tempo, sinto orgulho quando paro e penso que fiz o meu melhor! Por vezes é essa a perspetiva que devemos ter, apesar de nem sempre ser assim tão linear, bem sei! ;)
    Beijinho,
    Cris

    http://www.lima-limao.pt/

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3