1.9.17

PRIMEIRO DE SETEMBRO


Despedi-me de Agosto à mesa, na casa de uns amigos, daqueles amigos que queremos ter sempre por perto. Com quem não temos filtro, com quem podemos ser nós mesmos. Com quem comemoramos sucessos e partilhamos momentos menos bons. Porque a verdadeira amizade só pode ser isso mesmo, uma partilha de afectos, de vivências, uma relação que nem sempre é perfeita mas que tem de ser sempre verdadeira. 
Hoje começa um novo mês, sempre fui daquelas que dizia que Setembro era uma espécie de (re)começo. Muito mais do que o balanço que a maioria de nós costuma fazer no final do ano, escolho este mês sempre para dar início a algo novo, e não estou só a pensar num trabalho novo ou no regresso tão esperado ao ginásio, falo, acima de tudo, de objectivos e metas pessoais. Como todos sabem, o meu último ano foi muito duro, tive uma enorme dificuldade em lidar com esta exposição das redes sociais e alimentar este blog. Quis muito desistir de tudo. Porque a verdade é que senti que pouco ou nada fazia mais sentido e que não tinha nada de bom nem de bonito para vos mostrar.
Sim, porque é suposto as pessoas virem até aqui para buscar um bocadinho de inspiração ou ver coisas bonitas, até porque para vermos tristezas basta ver o telejornal todos os dias. Mas quando se está profundamente triste, quando sentimos que perdemos o chão, custa muito todo este processo do fingir que a vida é cor de rosa e cheia de sorrisos bonitos. Tem dias que também é, mas no meu caso, ultimamente não vai tanto por aí. 
Tudo isto para vos dizer que gostava mesmo muito de actualizar mais vezes o blog, escrever mais, fazer mais partilhas de coisas giras, esse é um dos grandes objectivos que tracei neste recomeço mas sei que a coisa vai num ritmo que nem sempre é o que eu mais gostaria. Não desistam de mim :)

Despedi-me de Agosto com a certeza de que preciso sossegar mais o meu coração, de que há coisas que, por mais que gostássemos que fossem diferentes, nunca vão mudar. Continuo na procura de uma paz que é necessária para o meu bem estar diário. 
Despedi-me de Agosto com a certeza de que nada podemos fazer quando alguém de quem gostamos tanto não quer mais fazer parte da nossa vida. Aceitar que não podemos forçar a permanência no nosso círculo se essa pessoas simplesmente não quer fazer mais parte dele.
Despedi-me de Agosto sabendo que tenho de me rodear dos que me querem bem e sentir-me sempre grata por esse carinho, por quem tem caminhado a meu lado , sem nunca me largar a mão.

Para Setembro quero mais momentos com a minha família, mais sorrisos. Quero praticar mais a gratidão. Sentir-me mais em paz comigo mesma. Gostar mais de mim.

Quero continuar a trabalhar na minha casa e poder senti-la cada vez mais minha, mais nossa.
É tempo de acreditar. E eu sou das que acredita sempre que vai correr tudo bem, às vezes a vida diz-nos que não, tira-nos o tapete, faz-nos sofrer, levantar custa muito, perceber que há coisas que não se recuperam magoa mas não posso perder mais este brilho nos olhos e esta força que um dia já me caracterizam tanto.













LOOK:
Túnica: aqui | Calções e Sandálias: Zara
Carteira: Chloé | Brincos: Joana Ribeiro Joalharia

Acima de tudo, tentem ser felizes, pelas mais pequenas coisas que vos possam acontecer no dia a dia. A vida é uma passagem e há que saber aproveitá-la da melhor forma possível.

Com amor,
Mia

3 comentários:

  1. Que palavras tão bonitas, Mia <3 Um grande beijinho.

    ResponderExcluir
  2. Força Mia, coragem. É uma mulher muito bonita. Tem concerteza muita vida para gozar e aproveitar. A vida tira o tapete e nós caímos, e como diz cura muito levantar, sair dali(eu ainda não me levantei), tal foi o trambolhão!como vê somos algumas com "dores" da vida. Abraço

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3