17.1.17

DOS DIAS FELIZES


Não tenho por hábito abrir as portas de minha casa com facilidade. Aliás, são poucos os que a conhecem. Isto porque considero que não há nada mais "nosso", mais pessoal, mais intimo que o nosso canto, o nosso lar. Aqui, naquele que é o meu espaço só aceito quem me queira por bem, quem seja sincero comigo. Há medida que vamos ganhando idade, vamos percebendo que é impossível gostar de toda a gente ou que toda a gente possa gostar de nós. Antes lidava muito mal com isso, com a ideia de que poderia haver alguém que não gostasse de mim por alguma coisa, hoje em dia "estou-me nas tintas". Percebi que tenho de viver a vida da forma que acredito ser correcta e que a primeira pessoa a quem tenho que agradar é a mim mesma. Preocupo-me sim em ser boa amiga, em ser capaz de estar presente na vida dos meus quando é preciso. Descobri (da pior forma possível) que há muita gente que se aproveita da nossa fragilidade e que gosta muito mais de nós quando estamos na chamada "mó de baixo" e que lida mal com o facto de estarmos de bem com a vida. Enfim, desabafos à parte e, até porque este é um post sobre o ser feliz com coisas simples e com pessoas bonitas, na passada sexta tive uma noite feliz. Muito. Recebi a minha Magda e o meu Mateus para um jantar onde partilhámos aquilo que de mais bonito pode existir, a amizade. 
O jantar ficou a cargo do Chef Mateus que, mais uma vez nos brindou com uma refeição maravilhosa. Houve tempo para desabafar, para descomprimir de uma semana cheia de trabalho, para soltar grandes e boas gargalhadas, acima de tudo, houve tempo para ser feliz.

Que bom é preparar a nossa casa para receber os que nos são especiais, já confessei que não sou muito amiga da cozinha no que toca à confecção mas tudo o que diga respeito a fazer uma mesa bonita, com detalhes é comigo. Adoro!










  












Eu e a Magda a fazer aquilo que mais gostamos, "acertar agendas", ahahah

Cheguei ao final da noite muito feliz, com o coração a transbordar de tanto carinho bom. São por estes momentos que vale a pena viver. A vida faz tão mais sentido quando partilhada com pessoas boas.
A vocês, dois amigos (tão bons) que a vida me ofereceu só posso agradecer por tudo o que são e que me fazem sentir. Venha o próximo! :)

Com amor, 
Mia


4 comentários:

  1. E há que dizê-lo: a mesa estava realmente bonita! ;)
    Beijinho
    Cris

    ResponderExcluir
  2. A idade faz-nos cada vez menos pensar no que dizem de nós e aceitarmos que somos como somos estando tranquilas com a nossa posição! :) Da próxima vez põe a Magda a cozinhar que ela leva jeito! ;) Beijinho

    ResponderExcluir
  3. Sou como tu... tenho muita dificuldade em deixar entrar alguém... Também és caranguejo? ;)

    Um beijinho dourado!

    ResponderExcluir
  4. Olá Mia

    Adorei o seu post!! Beijinhos

    Maria Duarte

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3