16.4.14

O negócio do Facebook


Hoje em dia é praticamente impossível viver longe das redes sociais. E digo "praticamente" porque conheço quem seja capaz de o fazer. O próprio do homem lá de casa, que quando se junta com os amigos, anda a "apanhar bonés" das piadas que fazemos ... alguém pergunta "não viste isso? partilhei no Fb!" ... parece que quem não tem ou não lhe dá uma utilidade diária bem se pode sentir um ET :)

Com as suas coisas boas e más, a malta lá vai se rindo. Todos os dias, pela manhã vejo os convites para jogos (santa paciência) e para deixar o belo do Like em mais uma página. Páginas de bijutaria, de t-shirts, de artigos fake brotam que nem cogumelos. Pergunto-me se esta gente se governa toda ou se anda só a brincar ao comércio. E digo brincar porque tenho visto tremendas barbaridades. No outro dia, uma grande amiga minha mostrava-me, numa página de acessórios fotos de alguns dos artigos que se encontram à venda. Qual o espanto quando vejo que a maioria das fotos eram colares da Zara, onde a "dona da barraca" nem se tinha dado ao trabalho de tirar o colar da embalagem que nos dão na loja, ou seja, mesmo que alguém não identificasse a marca no imediato, estava lá o próprio nome para não deixar margem de dúvidas. Será que a mesma acha mesmo que este é um verdadeiro negócio da China?

Descubro neste mundinho que é o facebook, que é possível comprar uma "Prada" por 80€ ou uns "Ray Ban" por metade do preço. Aquilo que mais me choca é tudo isto acontecer a "olhos vistos", às claras, quando se trata de crime. Tanto para quem vende como para quem compra. Não tenho nada contra quem compra imitações. Não gosto e não o faço. Mas isso sou eu. No entanto, acho absolutamente ridículo os que tentam convencer alguém que "aquela mala" é verdadeira quando se topa a léguas que é somente uma (má) imitação.

E pergunto-me, mas ninguém acaba com isto? 

Os bens de luxo são isso mesmo. De luxo. Custam dinheiro. A maior parte das coisas que até sonhamos não conseguimos ter. Sonhamos. Suspiramos. Fazemos um "mealheiro" onde vamos juntando uns trocos para o nosso "must have" na esperança que o porquinho fique de tal forma inchado que seja possível correr atrás daquilo com que sonhamos faz meses (no meu caso, muitas vezes anos!).
E na impossibilidade de o conseguirmos, mil vezes, chegar a Zara (ou a outra do grupo que faz as nossas maravilhas) e escolher um dos tantos modelos super giros e trendy que por lá vão aparecendo todas as semanas.

Porque mais vale uma Zara verdadeira do que uma Prada falsa.

Um beijo,
Mia




31 comentários:

  1. Muito bem escrito. Concordo contigo, mas o que há mais na FB é gente falsa e com falsos perfis. Mas como tudo na vida há coisas boas e más.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente! Prefiro usar grupo Inditex do que a melhor falsificação do mundo, que não as existem! Mas, desculpe que lhe diga, acha que o que" compra" na sua amiga Bijulândia AF que tanto publicita, e nada contra obviamente, vem de onde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não são compradas na Zara, nem imitações.

      Excluir
    2. Eu própria já vi malas " look a like" da chanel no site da bujilandia mas enfim...

      Excluir
    3. Eu vejo mesmo colares e brincos imitações zara! Nada contra, até porque nunca comprei nada lá prefiro ir à zara!!

      Excluir
    4. Eu vejo mesmo imitações de colares da Zara na página da Bijulandia! Basta olhar com atenção!

      Excluir
  3. É preciso ter cuidado, mas também já vi excelentes negócios começarem no facebook :)

    My Pretty Mess blog
    Página do facebook

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente! Recuso comprar imitações, se não tenho dinheiro para comprar the real stuff, não vou andar com low budget só para me armar aos cágados!

    Quanto à Bijulandia AF que foi referida anteriormente, tomei conhecimento da página há imenso tempo, através da Mia e recentemente, através de FB ou de instagram, recebi convites de outras páginas que vendem acessórios, literalmente copiados da Bijulândia. Podiam pelo menos ser mais discretos no copianço, mas não, começam numa ponta e acabam na outra, vendendo os artigos a preços bem menos acessíveis! De onde vêem os produtos da Bijulância não sei, mas sei que surgiram antes dos outros que agora a imitam descaradamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se é o caso da Bijulândia ou não, mas imensas lojas do Facebook vendem o mesmo tipo de bijuteria, não porque estejam a copiar-se umas às outras, mas sim porque compram todas aos mesmos fornecedores da China.

      Basta ir ao ebay para ver esses colares e brincos em abundância e a preços bem mais baixos do que as lojas do Facebook as vendem :).

      Excluir
    2. Subscrevo:) Não confundir duas coisas diferentes.. Uma coisa é a contrafacçao de artigos de luxo de marcas desse segmento de mercado(Chanel,MK,etc..) essa é ilegal é verdade. Outra coisa sao artigos, produzidos lado a lado na China,Bangladesh e uns sao produzidos para a Zara e outros exactamente iguais(ou no caso da roupa com acabamentos inferiores) vao para vários fornecedores que a maioria das vezes vendem no Ebay, daí ser comum a Zara inspirar se num artigo de uma marca do segmento alto,esse artigo levar uma etiqueta "zara" de 25euros e depois eu ir ao ebay e ver o mesmo artigo a 5euros (só tenho de esperar um mês que venha da China) e eu pergunto se comprar este artigo estarei a usar uma "imitação "da zara? que por sua vez se inspirou (e aqui o verbo inspirar/imitar confunde-se)numa outra marca?? No caso da Bijulandia e atenção reforço que não tenho qq artigo de lá o que posso dizer é que vendem artigos a um preço consideravelmente elevado que se podem encontrar precisamente no ebay(sei disto pq isto sim faço) ...neste caso pergunto serão os fornecedores chineses (vários )que imitam a Bijulandia ?Não me parece obviamente. Isto para chegar á conclusão que como tudo na vida "é subjectivo" . Sei que não concordo com contrafação e sei que também não concordo com a liberdade que existe no facebook em fazer negócios literalmente da China, pq eu tb posso criar uma pagina super girly,rosa, com bijuterias lindas, comprar no ebay a 3euros pedir ao cliente para esperar 4semanas pq só fazemos "por encomenda" ,cobrar no final 15euros(ainda assim mais barato que na zara) e ser uma "empresaria", ao invés de vender descaradamente imitações de Chanel etc e toda a gente saber que é contrafação .... Dualidade de critérios??Talvez.... ás vezes pergunto me se serão eles os espertos e eu a burra:)))

      Excluir
    3. Ninguém está impedido de vender os mesmos produtos, é certo! A questão é a falta de originalidade em vender exactamente as mesmas coisas, só porque o negócio dos outros resultou bem.

      Excluir
    4. O problema não é vender os mesmos produtos! O problema é que vem todos do mesmo fornecedor (entenda-se ebay). Numa rápida pesquisa encontramos tudo lá à venda. Daí os produtos oferecidos nas diferentes lojas online serem todos praticamente iguais! Muitas vezes vejo algo que gosto nessas lojas e acabo por comprar no ebay. Uns brincos à venda por 15€ custaram 2€ no ebay... é a diferença!

      Excluir
  5. Concordo em absoluto. Há por aí muitas pessoas que gostam de mostrar aquilo que não são/não têm. É precico aceitar a realidade: não se pode ter, sonha-se, trabalha-se, sonha-se mais um bocadinho. Se algum dia conseguirmos, óptimo! Mas é só a minha opinião.

    Beijinhos,
    diasdechocolate.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  6. O assunto lojinhas do FB dava pano para mangas, infelizmente não há nada que regule as imitações de 5ª que por lá brotam como cogumelos. Mas o que ainda me deixa mais desgostosa é ver essas lojas devidamente publicitadas em blogs bem conhecidos da nossa praça em troca de um par de brincos que são fakes da Tiffanys ou das ditas carteiras. Porque malta que quer vender este mundo e o outro vai sempre haver, o fake vai sempre ter o seu nicho de mercado, no entanto amantes de moda a sério a participar nisto a troco de meia dúzia de peças contrafeitas é bem triste.

    ResponderExcluir
  7. Desculpe Mia, vai dizer-me que as malas PRADA de várias cores bem como as várias LV com que aperece nas fotos são verdadeiras ??? NOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahaha! Quer que lhe mostre os cartões? Graças a Deus que sim e que posso.

      Excluir
    2. Hahaha! As imitações "caras" e razoáveis até os cartões trazem (been there). Não tenho nada contra si . Só não acho piada a falsos moralismos , sorry.

      Excluir
    3. E não tolero falsas verdades. Acha mesmo que eu me dava ao trabalho de escrever este texto se fizesse o mesmo? Não me lembro de nunca ter pedido dinheiro a ninguém para comprar as minhas próprias coisas. Chama-se trabalhar. Mas nem todos sabem o que isso é.

      Excluir
    4. As malas da Mia são verdadeiras. Quem perceba de artigos de luxo vê a léguas pelas costuras, forros e posições dos monogramas que são verdadeiras!

      Excluir
  8. Concordo absolutamente, sem alterar qualquer vírgula!!!
    Haja alguém a pensar como eu.

    http://lifealwaysgoes.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo artigo Mia. Já trabalhei na área da Propriedade Industrial (Marcas, patentes, design) e já alertei algumas pessoas no FB, através de mensagem privada, de que estão a cometer um crime de contrafação (art. 245 do CPI) ao venderem camisolas estampadas com logotipos da Chanel, YSL, etc, em que a etiqueta da camisola que aparece na fotografia é uma outra marca qualquer que não a Chanel ou a YSL. Estranhamente chegam a dar essas camisolas a pessoas famosas que as exibem em fotos nas redes sociais aliciando a que situações como esta continuem a acontecer...

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo artigo Mia. Já trabalhei na área da Propriedade Industrial (Marcas, patentes, design) e já alertei algumas pessoas no FB, através de mensagem privada, de que estão a cometer um crime de contrafação (art. 245 do CPI) ao venderem camisolas estampadas com logotipos da Chanel, YSL, etc, em que a etiqueta da camisola que aparece na fotografia é uma outra marca qualquer que não a Chanel ou a YSL. Estranhamente chegam a dar essas camisolas a pessoas famosas que as exibem em fotos nas redes sociais aliciando a que situações como esta continuem a acontecer...

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo artigo Mia. Já trabalhei na área da Propriedade Industrial (marcas, patentes, design) e alertei várias pessoas do FB, sem sucesso, de que se trata de um crime de contrafação (art. 245 do CPI) vender camisolas estampadas com logotipos da Chanel, YSL, etc. Exibem fotos das camisolas estampadas com etiquetas de uma outra marca qualquer, chegam a fazer publicidade dando estas camisolas a pessoas famosas que tiram fotos com as camisolas vestidas e ainda agradecem, aliciando a que estas situações continuem a acontecer...

    ResponderExcluir
  12. Who needs more when there is ZARA!?!?

    http://flordelisboa.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  13. Concordo apesar de ser suspeita. Tenho uma t-shirt com 2 anos. Contudo, estudei o código da Propriedade Industrial e tudo o que se vê pelo FB é pura contrafação. Na altura que a comprei não foi com o intuito de ter uma camisola da marca "x" porque sei muito bem que é imitação mas por achar piada ao símbolo, apenas. Parvoíces! Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Não concordo mas cada um com a sua opinião. Se podemos comprar uma imitação compramos, nada de anormal nisso.

    ResponderExcluir
  15. Também sou contra esses produtos de contrafacção, uma vez tambem escrevi sobre isso. O problema é que as pessoas não vêm essas fugas a impostos como um crime que é, mas depois queixam-se.
    Não gosto de falsificações (atenção estou a falar de cópias mesmo, nas quais até o símbolo vem falsificado). Na minha opinião quem é verdadeiramente apaixonado por moda e qualidade prefere os produtos originais.
    E acho muito bem que quem tem capacidade financeira para isso invista neste tipo de produtos de luxo, e ninguem tem nada a ver com isso.
    =)
    Rita

    ResponderExcluir
  16. Olá Mia, gosto muito de si mas tinha de vir aqui comentar.

    Acho que esse tema vai da consciência de cada uma. Há pessoas que não se importam das falsificações, há pessoas que se importam e não compram porque não gostam. Quem gosta compra, quem não gosta não compra, ponto final. Somos livre para comprar o que queremos da marca que queremos. Se a pessoa é feliz a usar imitações que seja, cada um responde por si. Sei que a Mia só expressou a sua opinião e ainda bem que o fez, mas não se pode induzir toda a gente a deixar de comprar imitações e comprar na zara porque é mais barato.

    Mas indo para o assunto da Bijulandia. Sim, o fornecedor dela é o Ebay sem dúvida, mas isso não é novidade para ninguém. Mas pessoalmente acho que estas lojas são úteis pois servem para ajudar as meninas que têm receio de comprar no ebay a terem as peças trendy que elas desejam. Agora só acho que a bijulandia é muito cara, ela tem colares quase a 30 euros, um absurdo! Quando em outras lojas são muito mais baratas. Mas cada um compra onde quer. Só acho que a fama faz as pessoas colocarem preços ridículos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela vossa visita,
Baci
<3