Adeus 2021. Olá 2022

5 de janeiro de 2022



não perdi muito tempo nas despedidas de 2021, sempre acreditei que sou das que opta pela versão do copo meio cheio mas a verdade é que foi um ano cheio de surpresas, muitas delas, dispensavéis. a dia 5 de um ano novo garanto que ainda não fiz qualquer tipo de lista de objectivos e desejos... aprendi da pior maneira que criar expectativas acaba muitas vezes por nos tramar. o que vier e tiver de ser meu assim será. 

2021 foi um somatório de concretizaçōes pessoais e de crescimento profissional, um ano de luta, de correr atrás, de resiliência, um ano de cara tapada e de ausência de abraços e beijos que tanta falta me fazem. um ano em que me senti carente de afectos tantas vezes e que aprendi a sorrir e a verbalizar mais com o ohar. 

2021 bem que poderia ter sido o ano em que "tanto fiz que agora tanto faz". dediquei-me a pessoas, fiz muito por elas, achei sempre que estava a fazer o correcto mas mesmo assim não chegou, não foi suficiente. senti-me muitas vezes triste, revoltada, quis sair de cena por não me sentir confortável e querida. fechei-me, aprendi a chorar (mais) em silêncio, tornei-me mais reservada e díficil de ser cativada. percebi que existem portas que não devemos abrir mais. 

desliguei-me muitas vezes do digital, talvez porque a "vida real" aconteça em off e porque nem todos os nossos momentos são bonitos de ficarem registados num perfil de instagram. cuidar e proteger a nossa privacidade é só maravilhoso, acreditem. 

sorri muito sem ter vontade de o fazer. segui em frente sabendo que me estava a arrastar e percebi que há muita coisa que não podemos mudar na vida e nos outros. questionei-me e questionei as minhas escolhas e o meu papel ... 2021 foi um ano de terapia, algo que quero muito continuar e melhorar. crescer com os meus erros e tornar-me uma pessoa melhor. percebi que a ansiedade continua a ser uma constante nos meus dias. 

em 2021 também houve (muito) amor. casei, juntei as famílias e celebrei aquilo que para mim continua a ser a base de uma vida feliz. lutei e cresci muito por e neste amor, defendi-o e irei defendê-lo sempre, porque sei que é especial. prometi cuidar dele e quero muito acreditar que ele se multiplicará.

agradeci muitas vezes, pelo que tenho, pelo que vou conquistanto e pelo que sonho. percebi que ter saúde é tão mas tão importante para se alcançar o resto. celebrei coisas grandes, celebrei coisas pequenas. continuei a acreditar que os detalhes fazem a diferença (mesmo que os outros não lhes dêm a devida importância), que a dose de brllho que acrescentamos à vida pode mesmo fazer a diferença nos nossos dias. fiz as pazes com o passado, arrumei gavetas na minha cabeça e no meu coração.

para 2022 quero que o amor seja uma constante. quero dias mais leves, menos dramas. menos problemas e mais soluçōes. quero sentir-me mais vezes feliz, quero ser capaz de aproveitar mais e melhor os momentos. quero poder abraçar sem medos. quero viver mais a minha família e os meus amigos. quero continuar a crescer profissionalmente e ter orgulho no caminho que tenho feito até aqui.                         

para 2022 quero que os meus olhos continuem a brilhar, paz no coração e coragem para receber tudo o que ainda está por vir. que nunca nos falte amor e que eu possa continuar a amar e a ser amada pelos meus.  


Com amor, 

Mia 





A EMOÇÃO DE ESCOLHER O VESTIDO

26 de julho de 2021

〰️ Mesmo que não seja uma estreia, é impossível não sentir {muita} emoção e algum nervosismo quando se experimenta um vestido de noiva😍 {as mulheres vão entender-me!}.

Foi a minha primeira visita à maravilhosa loja da @jesuspeiroporto onde me esperavam a Teresa e a Fátima, de braços abertos, para me ajudarem nesta aventura que é casar em tempo recorde! 🙈 sem mãe, irmãs ou amigas por perto, confesso que dar este passo sozinha me custou um bocadinho mas nestas coisas acredito muito naquilo que é “amor à primeira vista” e foi isso mesmo que senti quando vi O vestido! 😍 

Calma … óbvio que este não é o vestido ! Há tradições que gosto de manter e é óbvio que só no dia o Diogo vai ver qual foi a minha escolha 😉👰🏻 mas, modas à parte, adorei tê-lo ali comigo, nem que fosse só por um bocadinho. É isto que gosto no nosso amor, esta coisa tão nossa de querer estar ali um para o outro, sempre. No momento em que a cortina se abriu e apareci com este maravilhoso vestido, trocámos olhares emocionados, meio tímidos e muito felizes ♥️ 

Agora que escrevo estas palavras, garanto-vos que mal me vi sozinha ao espelho não consegui conter as lágrimas. É uma emoção que não se explica e não é só pelo vestido ou pelo momento, é por ter a certeza de que encontrei o amor que quero viver o resto da minha vida e não há nada mais bonito que isso. ♥️
.
.
[ a contar os dias para voltar à loja da @jesuspeiroporto e sentir de novo esta magia tão bonita que é ser noiva!]





Caminhar

28 de junho de 2021



Há caminhos na nossa vida que são mais longos do que desejávamos, mais difíceis, mais cheios de barreiras, algumas, tantas, que nem sabemos mais como ultrapassar. Eu, que sempre disse que o que a vida espera de nós é coragem, nem sei bem onde a encontrar agora. Talvez tenha esgotado todas as doses no passado. Talvez a força ou a fibra da qual sempre soube ser feita se tenha perdido por aí ... 

Segui sempre as cordenadas do amor. O amor acima de tudo. Em poucas alturas questionei se só o amor seria suficiente, se seria o amor capaz de ultrapassar tudo, suportar tudo, ser sempre vencedor, perante tudo e todos. Hoje, aos quarente anos de idade, continuo a acreditar que é o amor que me move, que me faz ter a coragem e a fé que preciso para os meus dias. Mas sei também que um amor não pode pesar, não pode impedir que os nossos dias, aqueles dias que tinham tudo para serem felizes, não sejam mais. O amor nunca nos pode tirar, apenas pode e deve acrescentar. 

Talvez a vida seja mesmo isto, esta constante queda para depois nos levantarmos ainda mais fortes, mais seguros e crentes do caminho que temos pela frente. Mas não sejamos hipócritas, tudo isto cansa, este constante acreditar que no final vai tudo correr bem. Viver neste desassossego constante de quem nos rouba a paz, de quem não sabe viver com a luz dos outros, porque afinal "quem tem luz própria incomoda quem está no escuro". 

Nos dias em que toda esta caminhada me parece mais díficil, levanto a cabeça e relembro tudo o que vivi até aqui, até chegar a este momento. Recordo com saudade as palavras do meu Pai que tanto insistia quando dizia que "ser boa pessoa custa muito"... Porque a verdade é que custa mesmo. Não é que alguém que pratique o bem no seu dia-a-dia esteja à espera que lhe seja erguida uma bandeira, um troféu, nada disso, mas no mínimo espera uma vida calma, sem tanta turbulência, uma vida onde a nossa paz não nos seja constantemente roubada. 

Por mais tramada ou injusta que seja a vossa vida, por mais rasteiras que vos tentem passar nunca deixem que isso faça de vós más pessoas, pessoas ressabiadas, pessoas que não sabem assistir ou simplesmente aceitar a felicidade dos outros. Há muitas formas de viver a vida, e em todas essas versões, somo nós que decidimos a forma como a queremos olhar, aceitar e viver.


*Há muito que não escrevia aqui, durante muito tempo achei que me faltava a inspiração ou que estava simplesmente bloqueada. Depois lembrei-me que nas alturas mais duras da minha vida, quando perdi o meu Pai e quando me separei, era aqui que vinha de alguma forma "desabafar" ou libertar alguma da dor que estava a viver. Nunca senti vergonha de expôr o que sentia, mesmo que algumas vezes soubesse que me devia proteger mais e melhor, mas sempre gostei de ser verdade, de ser exactamento aquilo que sou, com o bom e o menos bom que os meus dias têm. Ninguém é feliz todos os dias, acreditem.



*A ti Diogo, 

gosto da sorte que temos, gosto da nossa verdade, gosto de acreditar que todos os dias lutamos um bocadinho mais pela nossa felicidade e por este amor tão bonito e especial, que prometemos cuidar e proteger de tudo e de todos. ❤️


Com amor, 

Mia 






© 2019 Mia Relógio. Tecnologia do Blogger.